domingo, 30 de junho de 2019

Desporto Escolar - Campeonatos Nacionais de Iniciados em Setúbal

Decorreram nos dias 28, 29 e 30 de junho os Campeonatos Nacionais de Iniciados.


A Escola Secundária de São Lourenço esteve presente na modalidade de BTT-XCO.







Esteve representada pelos seguintes alunos:

6.º classificado - Sebastião Sequeira;
12.º classificado - Bruno Bizarro.

O juíz foi José Bancaleiro.

Prof. Responsável - Nuno Filipe Rodrigues



domingo, 12 de maio de 2019

Regionais de Andebol em Estremoz


Decorreu nos dias 10 e 11 de maio os Regionais de Andebol no escalão de juvenis na cidade de Estremoz.

A Escola Secundária de São Lourenço fez-se representar nestes Regionais com os seguintes alunos:

João Ferro;
Bernardo Carrilho;
Guilherme Dona;
Rodrigo Mirrado (aluno ESMS)
Diogo Luís Rodrigues (aluno ESMS)
António Nabais (aluno ESMS)
João Vicente (aluno ESMS)
Vicente Abreu (aluno ESMS)
Afonso Mirrado (aluno ESMS)
Juízes 
Filipe Bambulo
Luís Lameira

Prof. responsável: Nuno Filipe Rodrigues



Em virtude de a equipa da ESSL ter alunos federados a disputar o Campeonato Nacional de Andebol, a jogarem no Crato, foi efectuado um pedido especial à Coordenação do Desporto Escolar Alentejo para os jogos da equipa serem realizados no mesmo dia, com prejuízo da ESSL, uma vez que os alunos federados tinham uma jornada da sua competição federada no sábado, de outra forma a ESSL não poderia participar na competição.
A CLDE acedeu ao nosso pedido de alteração.

Deste modo, o primeiro jogo foi realizado com a Escola Secundária André de Gouveia de Évora.




Para a história fica o resultado:
Escola Secundária de André de Gouveia - 28; Escola Secundária de São Lourenço - 13


O segundo jogo foi com o Agrupamento nº 2 de Beja



Para a história fica o resultado:
Agrupamento nº 2 de Beja - 31; Escola Secundária de São Lourenço 24


Finalizado os Regionais, a ESSL classificou-se no 3º lugar, tendo a Escola Secundária André de Gouveia de Évora ganho o direito e representar a Região Alentejo nos Nacionais do Desporto Escolar. 

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Regionais BTT-XCO em Arraiolos


Realizaram-se hoje os Regionais de BTT-XCO que decorreram na bonita vila Alentejana de Arraiolos, a "Capital do Tapete".


A Escola Secundária de São Lourenço fez-se representar pelos seguintes atletas:

Inês Santos;
Gonçalo Matos;
Sebastião Sequeira (aluno ESMS)
Bruno Bizarro



Juízes Cronometristas
José Bancaleiro
Miguel Lopes


As classificações foram as seguintes: (Juvenis)
1.º classificado - Sebastião Sequeira
3.º classificado - Bruno Bizarro
Gonçalo Matos - DNF




1.º classificada (Juvenis) - Inês Santos


Prof. Responsável: Nuno Filipe Rodrigues

A equipa da Escola Secundária de São Lourenço ganhou o direito a representar a CLDE do Alentejo nos Nacionais do Desporto Escolar que irão ocorrer no próximo mês de junho na cidade banhada pelo Sado, Setúbal.


quinta-feira, 4 de abril de 2019

Semana da Escola - I Olímpiadas Rayanas


Decorreu hoje dia 4 de abril, no âmbito da Semana da Escola, as I Olimpíadas Rayanas no Ayuntamiento de Valencia de Alcantara na Província da Extremadura Espanhola. 




A Escola Secundária de São Lourenço representou o país muito condignamente com alunos de todos os níveis de escolaridade, que tendo como critério de participação, os alunos que estão inscritos Desporto Escolar nas respectivas modalidades.
Do país vizinho estavam representadas 8 localidades rayanas.


As modalidades que estiveram em competição foram:
Futebol de sete;
Basquetebol;


Voleibol;
Pádel
Badminton;
Desportos Adaptados;
Atletismo - 1k; velocidade (60m); salto em altura, salto em comprimento e lançamento do peso.


Estas competições não tiveram um carácter competitivo.




quarta-feira, 3 de abril de 2019

Semana da Escola - demonstração de Desportos Adaptados

Decorreu hoje dia 3 de abril, no âmbito da Semana da Escola mais uma atividade organizada pelo grupo de Educação Física, desta vez sobre a temática do Desporto Adaptado.

Foi uma sessão de demonstração, que nos fez recorreu aos equipamentos desportivos que estão alocados no Instituto Português da Juventude em Portalegre, que sua aquisição foi efetuada através do Orçamento Participativo Jovem.

Tiveram em demonstração os equipamentos das seguintes modalidades:

Boccia;
Andebol em cadeira de rodas;
Basquetebol em cadeira de rodas;
Ténis em cadeira de rodas

BOCCIA
Oriundo das civilizações gregas e romanas, o Boccia tornou-se numa modalidade Paralímpica em 1984, nos jogos de Nova Iorque, e é considerada a modalidade principal para atletas portadores de paralisia cerebral.
É um desporto indoor, de precisão, em que são arremessadas bolas, seis de couro azul e seis vermelhas, com o objetivo de as colocar o mais perto possível de uma bola branca chamada “jack”, ou “bola alvo”. É permitido o uso das mãos, dos pés ou de instrumentos de auxílio para atletas com grande comprometimento nos membros superiores e inferiores. Está modalidade pode ser disputada de forma individual, pares ou por equipas.
Antes de começar a partida, o árbitro sorteia através de moeda ao ar, a escolha da cor das bolas com que cada equipa vai competir. Ainda assim, dá aos participantes o direito de escolha: se querem competir com as bolas de couro vermelha, ou com as bolas de cor azul. Quem escolhe as vermelhas inicia a disputa, jogando primeiro o “jack” e uma bola vermelha. Depois é a vez da bola azul entrar em ação. A partir de então, os adversários vão-se revezando, a cada lance, para ver quem consegue posicionar as bolas o mais perto possível do “jack”.
Para ganhar um ponto, o atleta tem de fazer com que a bola fique o mais próximo do “jack”. Caso este mesmo jogador tenha colocado outras bolas mais próximas do alvo, cada uma delas também vale um ponto. Se duas bolas de cores diferentes ficam à mesma distância da esfera branca (Jack), os dois lados recebem um ponto. Vence quem acumula a maior pontuação.
Os jogadores podem ainda ser classificados da seguinte maneira:
  • BC1: Atletas podem competir com o auxílio de assistentes, que devem permanecer fora da área de jogo do atleta. O assistente pode apenas estabilizar ou ajustar a cadeira do jogador e entregar a bola a pedido.
  • BC2: Os jogadores não podem receber assistência.
  • BC3: Para jogadores com características funcionais mais limitadas, já que não conseguem arremessar as bolas. No lançamento das bolas, os jogadores utilizam dispositivos auxiliares, calhas, capacetes com ponteiros e são ajudados por um acompanhante que deve manter-se sempre de costas para a área de jogo. Se esta regra for quebrada o jogador sofrerá penalizações.
  • BC4: Para jogadores com outras deficiências locomotoras, mas que são totalmente autónomos relativamente à funcionalidade exigida pelo jogo, que não podem receber auxílio.
O Boccia chegou a Portugal em 1983, tendo no ano seguinte o país conquistado uma medalha de ouro nos Jogos de Nova Iorque. Dois anos depois, em 1986, Portugal "deu cartas" nos primeiros campeonatos do Mundo, já com a participação de 12 países. Praticado em Portugal por cerca de 300 atletas, de mais de três dezenas de associações e clubes, o Boccia tem sido integrado no Desporto Escolar ao longo dos tempos e possui um quadro competitivo, em que se consideram duas categorias: a primeira, em que jogam alunos em cadeira de rodas; e a segunda, em que os alunos jogam em pé. 




ANDEBOL EM CADEIRA DE RODAS
O Andebol em cadeira de rodas surge no Brasil em 2005 e chega à Europa em 2006.
O Andebol em cadeira de rodas é praticado por pessoas com comprometimento das funções motoras, nomeadamente ao nível dos membros inferiores, lesão medular, amputação, sequela de poliomielite e outras disfunções que o impeçam de correr, saltar e pular como um indivíduo sem lesões. Também pode ser praticado por pessoas sem deficiência.

O Andebol em cadeira de rodas pode ser jogado por quatro jogadores (ACR4) ou, tal como o Andebol formal, por sete jogadores (ACR7).
1. ACR4 
• Altura da baliza 1,60 metros (redução de 40 centímetros para o tamanho da baliza utilizada no Andebol regular);
• Duas partes de 10 minutos (no início da segunda parte o marcador é reiniciado);
• Em caso de empate no final da partida, é disputado um prolongamento (5 minutos) com golo de ouro;
• Classificação funcional de 12 pontos (equipas masculinas) ou 14 pontos, caso exista um elemento feminino em campo.

2. ACR7
• Altura da baliza 1,60 metros (redução de 40 centímetros para o tamanho da baliza utilizado no Andebol regular);
• Dois tempos de 30 minutos;
• Classificação funcional de 18 pontos (equipas masculinas) ou 20 pontos, caso exista um elemento feminino em campo.

BASQUETEBOL EM CADEIRA DE RODAS


O Basquetebol em cadeira de rodas começou a ser praticado após a II Guerra Mundial, sobretudo como atividade de reabilitação de pessoas com deficiência motora adquirida durante o conflito.
A modalidade pode ser praticada por ambos os sexos, pessoas com comprometimento das funções motoras, nomeadamente ao nível dos membros inferiores, lesão medular, amputação, sequela de poliomielite e outras disfunções que o impeçam de correr, saltar e pular como um indivíduo sem lesões. Também pode ser praticado por pessoas sem deficiência. Tal como no Basquetebol formal, é jogado por duas equipas de cinco jogadores cada, aplicando-se as regras da Federação Internacional de Basquetebol, conjugadas com as adaptações previstas pela Federação Internacional de Basquetebol em Cadeira de Rodas.

TÉNIS EM CADEIRA DE RODAS


O Ténis em cadeira de rodas nasceu nos anos 70 nos Estados Unidos da América, embora o seu crescimento tenha acontecido, essencialmente, nos anos 80 em França. É nos Jogos Paralímpicos de Barcelona, em 1992, que o Ténis em cadeira de rodas entra para o programa dos Jogos Paralímpicos. Neste desporto são elegíveis para competir os atletas com diagnóstico médico de lesão ao nível motor permanente, que resulte numa perda de funcionalidade substancial nos membros inferiores ou superiores.
O jogo rege-se pelas regras tradicionais do Ténis e a única diferença entre o Ténis em cadeira de rodas e o Ténis regular é que a bola pode tocar no lado do campo do adversário duas vezes sem produzir ponto, sendo que o primeiro toque terá de ocorrer obrigatoriamente dentro dos limites do campo do adversário.
A International Wheelchair Tennis Association (IWTA) é o órgão regulador do Ténis em cadeira de rodas, sob dependência da International Tennis Federation (ITF), que inclui todos os países membros do Ténis em cadeira de rodas.
O grupo de Educação Física agradece ao IPDJ Portalegre a cedência dos equipamentos, assim como ao Presidente do IPDJ do Alentejo, Miguel Rasquinho, ao Tiago Teotónio Pereira e ao Raúl Ladeira toda a disponibilidade  demonstrada.

terça-feira, 2 de abril de 2019

Semana da Escola - Sessão de Insanity

Decorreu hoje dia 2 de abril no âmbito da Semana da Escola uma Sessão de Insanity promovida pelo Grupo de Educação Física, sessão essa que foi dirigida por um Stakeholder (parceiro) da Escola o Professor João Landeiro do Ginásio FitFactory em Portalegre.




A sessão foi dirigida a toda a comunidade educativa tendo sido efectivada pelos alunos do Curso Profissional de Desporto da Turma do 11º G.


O Grupo de Educação Física agradece a disponibilidade e o profissionalismo demonstrado pelo Professor João Landeiro

terça-feira, 26 de março de 2019

Basquetebol 3x3

Decorreu no dia 25 de março de 2019 na vila de Nisa, as finais Distritais do 
Projecto do Desporto Escolar Basquetebol 3x3.